Escrito por Fernanda Duda

Por mais moderna que seja a tecnologia utilizada, não existe empresa sem pessoas. E qualquer empreendimento, ainda que erguido por uma única mente, precisará de um time para continuar crescendo. O dinamismo do mercado exige que empresas e trabalhadores estejam sempre se aperfeiçoando para atender às necessidades do consumidor, e isso requer um bom trabalho em equipe. A fim de otimizar esse trabalho conjunto, membros motivados e líderes atentos às particularidades de cada um são peças indispensáveis.

Para se alcançar o sucesso como empreendedor, existem algumas competências necessárias, estando, sem dúvidas, uma boa liderança de equipe entre as principais. Um ponto importante sobre esse tema é a diferença entre chefiar e liderar. Segundo o autor Mário Donadio, em sua obra “Chefiar, simples assim!”, esses termos não podem ser encarados como sinônimos, mas complementos. Chefes sem atitudes de líderes são desastrosos, e líderes sem conhecimento e habilidades de chefes são perigosos. 

Para o autor, um bom líder deve ser um exemplo, uma referência e uma inspiração para todos os liderados. Trabalhando para o sucesso do colaborador, consequentemente esse mesmo contribuirá para o sucesso da sua empresa. Por isso, posturas de imposição e superioridade não são adequadas, isso porque, quando você se eleva, automaticamente está rebaixando o outro, e quando isso ocorre, as tarefas não são realizadas com vigor, diminuindo a qualidade e produtividade da empresa. Não seja um gestor com pensamento verticalizado, aprenda a trabalhar com uma dinâmica de feedbacks e discussões horizontalizada.

Além disso, um líder é também um motivador. Motivação é criar estímulos para impulsionar a si próprio ou aos outros para agir a favor de uma meta, e um dos exemplos que pode ser praticado para tanto é o treinamento, a fim de potencializar e envolver o seu time recorrentemente, pois o mercado muda, os valores mudam, e a equipe deve se preparar, a cada momento, para um novo cenário. Tocando nesse ponto, é interessante falar sobre o papel do vendedor, o qual há alguns anos ouvia que sua profissão estava condenada à extinção devido à internet, mas hoje vemos que o quadro é completamente diferente. 

Os vendedores de hoje têm a internet como principal aliada, e um bom treinamento nesse ponto é imprescindível não só para aumentar as vendas, mas para conhecer o seu mercado de atuação e adequar-se à ele. Hoje fala-se na venda consultiva pautada em captadores de listas, com utilização de hunters, e os responsáveis pelo fechamento de contrato, os closers. Nesse ponto, preparar sua equipe para atender às demandas atuais é um diferencial, pois a passagem de bastão dentro da equipe de marketing, vendas e customer success, é crucial para o processo de captação, conversão e, principalmente, retenção da carteira de clientes. 

Nesse sentido, falando em mudança de cenários, o conceito de resiliência emerge como uma grande competência para o sucesso no mundo empresarial, qual seja a capacidade de enfrentar situações críticas e diversificar perspectivas para superá-las. O professor Paulo Yazigi Sabbag, da Fundação Getúlio Vargas, idealizou a primeira escala nacional para avaliar o nível de resiliência de profissionais, a Escala de Resiliência Sabbag (ERS). Ela relaciona 9 fatores dentro do conceito de resiliência com pesos diferentes do maior para o menor. São eles: autoeficácia; solução de problemas; temperança; empatia; proatividade; competência social; tenacidade; otimismo e flexibilidade mental, respectivamente. Com o teste, é possível descobrir os pontos mais fortes e os mais fracos dos profissionais e trabalhá-los separadamente. 

Diante de todo o exposto e tratado a respeito do trabalho em equipe no ramo empresarial, fica claro que ser um bom líder é uma qualidade admirável que faz diferença nos resultados. Embora saibamos que gerenciar pessoas é um desafio, ainda mais estando à frente do seu próprio negócio, é o gerenciamento correto que impacta no desenvolvimento profissional de cada um e, consequentemente, no desempenho da equipe por completo. Trabalhar em conjunto significa fazer sua parte bem feita, para que todos os que dependem do seu trabalho possam ser beneficiados por ele, em especial, a sua empresa. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *